Os Pássaros Rebeldes nasceram de papos com amigos, quando cansamos das gaiolas em que nos sentíamos presos e queríamos ser livres e arrastar asinhas por aí. Nos chamaram de depravados, nos chamaram de rebeldes, nos chamaram de %$#&*#, então acabou ficando “rebeldes” mesmo. 

Tomás tem 27 anos, é de Salvador-BA e trabalha como cartunista e professor. Começou a publicar os Pássaros Rebeldes em 2010, daí fica citando aos quatro ventos o trecho da ópera Carmen, de Bizet, para ver se pega. Aliás, “L’amour est un oiseau rebelle/ Que nul ne peut apprivoiser” (O amor é um pássaro rebelde que não se pode domesticar). É, eu avisei.

passarosrebeldes@gmail.com

www.twitter.com/passarorebelde